Deus, seu sorriso é uma janela para minha alegria. A noção exata de te sentir me faz tão feliz. Foi tão rápido que descobri o brilho de um astro, aquele que iria fazer de minha história um recomeço de amor. Houvram pedaços que se soltaram, e ficaram lá atrás, mas eu não esqueci. De certo modo estão colados na minha memória. Todos tiveram suas cores, alguns cinzas, craquelados, alegres, e outros coloridos demais.Em cada um deles eu vivi de coração. Eu ouvi o AMOR me chamar, ELE brincava comigo quando minha tristeza precisava de risos. Eu senti sua voz me ninar, quando eu chorava de frio e de fome. Adormeci muitas noites, imaginando um copo de leite, nem precisava ser quentinho e cheio, bastava matar minha fome. Muitas vezes não fazemos nada, e não há nada que se possa fazer com isso. Mas a minha direção era sempre iluminada pelo Sol. Por quê? Eu me fiz muito essa pergunta. Mas tratava de me fortalecer me dando a resposta positiva, que um dia tudo iria ser bem azul, e no fundo um arco-íris mandado pelo Céu, iria indicar a direção que eu precisava seguir. “Não chore Fernandinha, a gente um dia vai ter um pai e uma mãe, irmãos, um lar e você até vai poder comer empada no domingo”. Eu me dizia isso sempre que pensava não haver mais maneira de me dar força, por me sentia fraca de fome. Eu olho para trás e sinto um orgulho tão grande de mim, é sério! Eu sinto. Quando recordo aquele tempo, meus olhos mergulham num mar de emoções. Como fui corajosa diante das noites em bancos de praças. Mas eu não sabia o que era perigo até eu ficar grandinha. No entanto tudo já vem bem detalhado, e com um cuidado excessivo do Criador. Nenhuma criança fica desamparada a seus olhos. Ontem eu vi do ônibus, um menino de rua caído com um saco de cola nas mãos, aquilo me doeu inteira. Pedi que o Senhor colocasse alguém em seu caminho ali, para ajudá-lo a sair daquilo. Precisamos conscientizar nossas crianças, de que as drogas são bichos papão desde cedinho, para que elas não tenham a curiosidade de experimentar. Orientar estas crianças de que não devem aceitar balas ou qualquer outro presente de estranhos, porque existem muitas pessoas mal intencionadas por aí. É incrível como a confiança perdeu o sentido no mundo. E o mal tomou conta de corações por opção de quem os carrega. Comecei falando de amor e me estendi para outro rumo, que não deixa de ter amor no meio. Mas eu sinceramente espero que o hoje, seja mais correto em relação àqueles que moram nas ruas por falta de opção. Eu espero que cada olhar que se depare com um sem-teto, esteja de alguma forma próximo de fazer a sua parte. É perigoso se aproximar de alguém assim? Na maioria das vezes sim, mas há muitas formas de ajudar. Tive sempre em mente o que queria. Aprendi a ler sozinha juntando palavras, me fascinava quando via alguém lendo próximo a mim, era sempre uma nova descoberta. Agradeço pelo que tenho hoje, ao Senhor do alto que nunca me deixou sozinha, por meus pais que mesmo eu sendo uma menina-grande não hesitaram em me adotar aos 14 anos de idade. ♥

★☾ ✿Gente - Miúda✿

★☾ ✿Gente - Miúda✿
Era uma vez, uma garotinha que se chamava... Bora ler!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

O menino e Ela.

(Autoria: Fernanda)
Imagem:net

★☾ ✿
Noite fria, e a menina procurava abrigo, e sem se dar conta encontrou um menino que também se abrigava da noite. Ela aproximou-se meio arredia, mas contente de ter mais alguém ali além dela. Nisto, ao chegar mais perto, parecia ouvir o menino falando com alguma pessoa. Mas quem? Ela não via ninguém por ali além deles. O menino dizia: por que você não me ama? Baixou lentamente a cabeça e olhando o horizonte, ela presenciou lágrimas.
 
Ela - Menino posso ir ficar aí embaixo também?
Ele - Não quero companhia.
Ela - Está bem eu ficarei aqui onde estou, quer conversar?
Ele - Sobre o que?
Ela - Não sei, sobre o que quiser.
Ele - Você, o que faz aqui?
Ela - Estava andando e acabei me afastando de onde costumo dormir, então vi você aí e pensei poder me abrigar aqui além de conversar um pouco.
Ele - Venha.
 
Ela - Ouvi sua conversa, mas acho que você conversava com o Senhor do alto não é?
Ele - Você quer dizer Papai do céu.
Ela - Sim. Mas você dorme aqui?
Ele - Fazia parte de uma turma de meninos lá do lado norte, mas eles começaram a cheirar um troço esquisito e depois ficam mais esquisitos ainda. Me deram e eu não quis, então me bateram e queriam me atirar no mar. Fugi e vim parar aqui. E você?
Ela - Eu fugi de um lugar onde guardavam crianças para depois vir um adulto que gostasse de criança levar para ser sua mãe e pai.
Ele - E porque fugiu de lá? Não queria ter um pai e uma mãe?
Ela - Quero! Mas esperava os meus verdadeiros pais, se outra pessoa me levasse como poderiam eles me achar?
 
Ele - E ninguém quis você?
Ela - Eu me escondia sempre, e no lugar iam meus amiguinhos, eles precisavam mais que eu.
Ele - E como veio parar aqui?
Ela - Fugi de lá numa noite de natal e não voltei mais.
Ele - E como sobrevive aqui fora?
Ela - Tenho amigos na praia, ah e também estudo numa escola da favela.
Ele - Então sabe ler e escrever?
Ela - Sei sim.
Ele - Pode escrever uma carta para minha avó qualquer dia destes?
Ela - Posso, quando quiser.
Ela - Agora que viramos amigos, por que perguntava se alguém não te amava? Era mesmo o papai do céu como diz?
Ele - Não iria querer saber a verdade.
Ela - Tente então.
 
Ele - É que depois de apanhar de meu padrasto e de minha mãe, eu decidi ir embora de casa, mesmo tendo a minha avó que sempre me defendeu. Não gostava de viver daquela forma, drogas e bebidas, e nenhuma condição saudável.
Ela - Mas e sua avó? Por que não ficou com ela?
Ele - Minha avó está doente e não podia cuidar de nós dois, mas eu prometi para ela que mandava notícias. E agora mesmo estava conversando com o Senhor do alto como você diz.
Ela - Pode me dizer como se chama?
Ele - Edilson.
Ela- Edilson, então não sabe o que o Senhor do alto, Papai do céu, ele sempre nos amará?
 
Ele - E por que nós dois, duas crianças que deveriam estar sendo cuidadas por pessoas que nos amassem, estamos aqui jogados no meio do frio e com fome?
 
Ela - Ainda não tenho a resposta, mas posso te garantir que estamos sendo cuidados e amados. E não estamos jogados, veja, fizemos amizade e estamos conversando de nossas vidas. O padre lá da igreja que guardo meus cadernos, me disse uma vez que, nós temos sempre dois caminhos a seguir. E eu perguntei a ele onde o Senhor do alto mais se orgulharia que seguíssemos, e ele me disse que é no caminho mais precário. Nem sempre encontramos o amor na facilidade Edilson, mas saiba que se a lealdade e a fé fizer parte de nossas vidas, teremos muitas vitórias, porque o amor abre todas as portas. Você pode duvidar do que quiser, mas nunca duvide do amor de Deus por nós.
 
Ele - Você acredita mesmo hem?
Ela - Sim, de toda minha alma.
 



★☾ ✿

3 comentários:

  1. que fé tem essa Criança
    linda semana beijokas

    ResponderExcluir
  2. Nanda,hoje passei por aqui pra visitar essa gente miuda!Que beleza de história,vc sempre consegue me emocionar!Bjs,menina flor!

    ResponderExcluir
  3. Lindo demais minha querida, por mais dificuldades que a vida lhes ofereça, eles tem fé, e isso basta, o caminho a seguir é difícil, triste, mas hão de vencer,,,carinho amor e aconchego sempre pra essa gente miúda que tanto tem a nos dar...mais um lindo cantinho...beijos.

    ResponderExcluir

♥♫