Deus, seu sorriso é uma janela para minha alegria. A noção exata de te sentir me faz tão feliz. Foi tão rápido que descobri o brilho de um astro, aquele que iria fazer de minha história um recomeço de amor. Houvram pedaços que se soltaram, e ficaram lá atrás, mas eu não esqueci. De certo modo estão colados na minha memória. Todos tiveram suas cores, alguns cinzas, craquelados, alegres, e outros coloridos demais.Em cada um deles eu vivi de coração. Eu ouvi o AMOR me chamar, ELE brincava comigo quando minha tristeza precisava de risos. Eu senti sua voz me ninar, quando eu chorava de frio e de fome. Adormeci muitas noites, imaginando um copo de leite, nem precisava ser quentinho e cheio, bastava matar minha fome. Muitas vezes não fazemos nada, e não há nada que se possa fazer com isso. Mas a minha direção era sempre iluminada pelo Sol. Por quê? Eu me fiz muito essa pergunta. Mas tratava de me fortalecer me dando a resposta positiva, que um dia tudo iria ser bem azul, e no fundo um arco-íris mandado pelo Céu, iria indicar a direção que eu precisava seguir. “Não chore Fernandinha, a gente um dia vai ter um pai e uma mãe, irmãos, um lar e você até vai poder comer empada no domingo”. Eu me dizia isso sempre que pensava não haver mais maneira de me dar força, por me sentia fraca de fome. Eu olho para trás e sinto um orgulho tão grande de mim, é sério! Eu sinto. Quando recordo aquele tempo, meus olhos mergulham num mar de emoções. Como fui corajosa diante das noites em bancos de praças. Mas eu não sabia o que era perigo até eu ficar grandinha. No entanto tudo já vem bem detalhado, e com um cuidado excessivo do Criador. Nenhuma criança fica desamparada a seus olhos. Ontem eu vi do ônibus, um menino de rua caído com um saco de cola nas mãos, aquilo me doeu inteira. Pedi que o Senhor colocasse alguém em seu caminho ali, para ajudá-lo a sair daquilo. Precisamos conscientizar nossas crianças, de que as drogas são bichos papão desde cedinho, para que elas não tenham a curiosidade de experimentar. Orientar estas crianças de que não devem aceitar balas ou qualquer outro presente de estranhos, porque existem muitas pessoas mal intencionadas por aí. É incrível como a confiança perdeu o sentido no mundo. E o mal tomou conta de corações por opção de quem os carrega. Comecei falando de amor e me estendi para outro rumo, que não deixa de ter amor no meio. Mas eu sinceramente espero que o hoje, seja mais correto em relação àqueles que moram nas ruas por falta de opção. Eu espero que cada olhar que se depare com um sem-teto, esteja de alguma forma próximo de fazer a sua parte. É perigoso se aproximar de alguém assim? Na maioria das vezes sim, mas há muitas formas de ajudar. Tive sempre em mente o que queria. Aprendi a ler sozinha juntando palavras, me fascinava quando via alguém lendo próximo a mim, era sempre uma nova descoberta. Agradeço pelo que tenho hoje, ao Senhor do alto que nunca me deixou sozinha, por meus pais que mesmo eu sendo uma menina-grande não hesitaram em me adotar aos 14 anos de idade. ♥

★☾ ✿Gente - Miúda✿

★☾ ✿Gente - Miúda✿
Era uma vez, uma garotinha que se chamava... Bora ler!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Pedido

(Autoria: Fernanda)
Imagem: Google



A menina corria para a liberdade, na verdade ela nem entendia o que queria dizer aquela palavra. Só sabia que precisava sair dali e saiu.
Tudo parecia tão amplo agora, o que pensaria dona Rosa, quando não a visse no cantinho do castigo?
O frio da noite lhe abraçava tão forte, que ela mal conseguia andar, sentia fome, medo e solidão.

Aninhou-se por ali mesmo no chão e dormiu com a canção que o mar sabia fazer.
Mas a noite parecia não ter braços para lhe aquecer, e ela acordou tremendo.
Então começou a correr na areia para ficar com calor, mas não resolveu muito, pois sentia também sede, decidiu ficar mais perto do calçadão.
Ali sentou, chorou e perguntou por quê?

Senhor aí do alto, olha euzinha aqui embaixo.
Sou eu a Fernanda do orfanato, lembra?
Eu Fuji de lá, me diz fiz errado?
Sabe? Não quis errar, eu sei que não devemos fazer nada de errado, porque você não gosta.
É que lá eu não conseguia conversar contigo direito, e não podia olhar tua casa como gosto de fazer todo dia.
Pode me fazer um favor?
Queria que dona  Rosa sentisse amor tão grande, que nunca mais puxasse nenhuma orelha, ou jogasse a bolinha de gude.
Cuida dos meus amiguinhos também Senhor.

Você sabe tudo que penso e sinto, o padre falou na missa do amor eterno. Um amor que se doou por cada ser humano.
Foi por querer entender melhor que fui até lá no altar com ele.
Queria saber mais desse amor eterno, e ele me disse que seu nome era Jesus, e que você amava muito as crianças e todas as pessoas.
Então eu procurei saber mais de ti, e cada vez que eu sabia, mais me encantava.
Quando chegou naquela parte que cuspiram-lhe a face, e lhe bateram bem forte eu fiquei muito triste, e o senhor sabe disso.
Pensei que talvez fosse igual aquela dor do milho no joelho quando ficava de castigo.
O padre também falou que tudo que pedisse ao pai do céu em seu nome ele nos daria. Depois que soube disso venho pedindo em seu nome, para que ele arrume pais com um amor tão grande para cada criança que não tenha um.

Sabe Jesus? Um dia eu vou ser bem grande e cuidar de todas as crianças sem pais, vou amar bem grande cada uma delas e não deixar que chorem por doer por dentro.
Você doeu por dentro por causa da maldade né? Eu soube que mesmo a maldade te machucando você perdoava, porque você é amor.
Jesus, daí do alto dá para ver a Itália bem de perto?
A minha mãe Helena voltou para aí?

Porque eu não consigo pedir para mim, como peço para meus amiguinhos? Se eu conseguisse você mandava minha mãe de volta né? Mas não me sinto merecedora para pedir.
A dona Rosa disse que sou apoquentadora, e isso é uma palavra feia demais, e tenho receio de saber o que quer dizer. Mas se ela disse deve saber, porque me conhece desde que era um bebê.
Eu sei que você sabe o que eu pensei agorinha mesmo.
Que colocasse em dona Rosa um coração que apertasse como orelhas puchadas, toda vez que ela fizesse maldade. Mas só quando ela fosse má.
Que a Julinha consiga arrumar a cama de um jeito que a bolinha de gude role todos os dias, e que ela não sofra muito com minha ausência.

Se eu merecer, queria que ficasse bem pertinho de mim.
Sei que se estiver comigo, vou ficar sempre bem.
Hoje eu deixei meus pés tocarem o mar, ele me beijou os pés tão bonito.
Eu gosto do mar Jesus, obrigada por ele.
Agora vou apreciar o sol e você fica com Deus tá?

PS: Nada aqui é fictício

6 comentários:

  1. Olá querida,
    Sua história continua a tocar meu coração e somente não fico por demais ansiosa em conhecer toda ela de uma só vez porque já sei que você está bem e feliz.
    Aliás, dia primeiro já esta se aproximando. Como está o coraçãozinho? Batendo muito forte?
    Beijos caramelados.

    ResponderExcluir
  2. E Ele te ouviu, só demorou o tempo necessário para fazer nascer em você sentimentos que com certeza é sua missão difundir. Somos instrumentos Fernanda.

    Você me encanta!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Lindo,lindo,Fê,você sempre me enternece com suas palavras ternas,seu jeitinho límpido de narrar uma experiência que criança nenhuma deveria ter vivenciado,mas que resultou nesta flor de menina,a quem amamos muito.
    Colo e carinho para você que poderia ser minha netinha,
    Bjsssss,Leninha

    ResponderExcluir
  4. Fernanda

    Querida, Sempre sonhei em ter uma filha menina e Deus me deu dois meninos lindos e saudáveis. Já fiz planos de adotar uma menina e cada vez que leio suas Histórias lateja em mim ainda mais o desejo! Creio que o Pai está preparando uma fernandinha para mim (se for merecedor) em algum lugar e quando chegar o momento ela estará fazendo parte do aconchego do meu coração e da minha casa...

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  5. Li o teu blog todo... rsrs...
    Parece ficção... mas já percebi que vais contar aqui muito da tua vida. Estou impressionado... quando te vi a colocar as meias na árvore de natal com o teu pedido fiquei com um nó na garganta...
    Hoje fiquei a gostar ainda mais de ti...
    Para além disso, sabes contar muito bem uma história, ainda que ela seja a tua. Tens uma enorme capacidade para a narrativa. Prendes o leitor da primeira à última linha.
    Querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Nanda,que lindo esse seu novo blog!Eu amei sua história de vida!Comovente ainda mais por saber ser verdadeira!Linda menina flor!Bjs,

    ResponderExcluir

♥♫